terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Entrevista do Carvalho - Edição de 29 de Dezembro de 2010 - ATHIRSON

Com mais de 40 gols, Athirson é o maior lateral-artilheiro da história do Flamengo

 
Athirson é um exemplo clássico de como o Flamengo cuida de sua outrora qualificada "prata da casa".
Revelado por suas divisões de base e torcedor do clube, ele foi emprestado ao Santos ainda jovem, e liberado sem direito a qualquer pagamento ao Juventus de Turim anos depois.
Com uma carreira de sucesso, mas que poderia ter sido ainda mais dourada, Athirson é uma figura doce e disciplinada.
Talvez, fruto de uma educação militar por parte de seu pai.
Talvez, em função de ter estudado num ótimo colégio, o mesmo aliás em que este humilde escriba passou cinco anos de sua vida.
A "Opinião" hoje, é sua Athirson!

 



E com a entrevista de Athirson, encerramos as "Entrevistas do Carvalho" em 2010.
Foram treze entrevistas exclusivas que você pôde e pode quando desejar, assistir aqui no "Opinião".
Tomara que o "13" dê sorte e que em 2011 se bobear, até o Zagallo passe por aqui.
E 2011, como diria o psicotrópico apresentador, afinal de contas, já é logo ali.
Muito obrigado pelo incrível e velocíssimo sucesso. 

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Jogo das estrelas e afins

Pra quem tinha dúvidas se era incompetência ou outra coi$a...
 
* Você escalaria Val Baiano, Diogo, Deivid ou Borja no seu time?
Pois é, nem o Zico.
Em sua pelada ontem, ele escalou Emerson no ataque, o mesmo que segundo ele, "usou" o Flamengo para se valorizar.
A torcida do Flamengo deve estar lamentando muito que Zico não tenha dirigido o futebol rubro-negro com o despojamento com que convocou os atletas para sua pelada de ontem.

Artimética Romariana
* Túlio, que segundo ele mesmo tinha há um ano, pouco mais de 800 gols, fez dois ontem e já tem 938.
Em seu planejamento, ele espera fazer mais 5 em 2011 e chegar à 2012 com 987.

Relação custo/benefício? Xiiiiii...
* Carlos Alberto deve ter jogado ontem mais minutos e feito mais gols do que em toda a temporada 2010.
A única coisa que foi idêntica, foi a seriedade com que encarou o jogo.



 Sport(V) Club Corínthians Paulista
*  E a saga "Tentando transformar o Corínthians em algo que ele não é" continua.
Numa entrevista com Rafael Nadal, a repórter do canal campeão presenteou o Miúra com uma camisa... do Oh que surpresa?! Corínthians!
A desculpa esfarrapada foi que o sócio honorário da Praça do Ó jogou no Madrid, time de Nadal.
O fato do mesmo ter jogado no Barcelona, foi óbvia e comodamente ignorado.
E tem gente que chama isso de Jornalismo.

Ah, vai fazer ventar...
* Embora aqui no canto esquerdo haja uma foto cuja mensagem afirma que não se deve levar o futebol excessivamente a sério, é evidente que para tudo há limites.
Há alguns anos, o Sportv produziu programas interessantes com o comando do ótimo Lúcio de Castro - hoje na ESPN Brasil - e com o também talentoso Vitorino Chermont.
Eram programas que reuniam grandes esportistas e grandes expoentes das artes, num papo agradável em que ambos contavam algumas de suas histórias que vem por outra se entrelaçavam.
Renato Aragão e Pelé foram convidados de uma das edições.
Porém, durante o Natal tive o desprazer de assistir Paulo Coelho dar uma entrevista ao mesmo Vitorino.
Não tenho a princípio, nada contra Paulo Coelho.
Não sou seu leitor, mas admiro algumas de suas músicas.
Mas houve no programa, o que cada vez mais existe em programas esportivos, principalmente na televisão, fatalmente em razão da necessidade de se complementar o horário da programação.
Já disse aqui algumas vezes que poucos jornalistas esportivos entendem de futebol. Muito poucos mesmo, para ser mais exato e fiel a realidade.
Imagine então o que é assistir Paulo Coelho opinar sobre a inserção da tecnologia no futebol.
É a mesma coisa que perguntar ao Iranildo quem deve ocupar a cadeira vaga na A.B.L.!
O futebol não se respeita! Não se dá ao respeito.
Dá espaço extremamente demasiado, a pessoas que nada sabem sobre o esporte, dizerem o que acham com pinta de quem estão descobrindo a pólvora.
E o pior é que por ignorância, as asneiras proferidas passam a ser repetidas por parte do povo.
Asneiras ditas inclusive com ares de "novidade do dia", como foi quando o mago disse que Blatter, Sepp para ele, concordou com ele sobre a questão e disse que se o contrário acontecesse, o charme, o sucesso do futebol iria por água abaixo, pois as discussões acaloradas nos bares terminariam.
A idiotice acima foi dita por Havelange há muitos anos. Nem novidade é.
Infeliz do esporte que dependa de erros para fazer sucesso.
Felizmente, não é o caso do futebol.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Entrevista do Carvalho - Edição de 23 de Dezembro de 2010 - GILBERTO


Hoje 23 de Dezembro, Gilberto me recebeu no hotel onde passa suas férias no Rio de Janeiro.
Simples, tranquilo e realizado, o jogador revelado pelo América fala aos 34 anos tudo o que pensa.
O sucesso profissional, a mudança de posição, as experiências internacionais, e seu coração dividido entre Cruzeiro, Grêmio e uma surpresa.
Pois bem, veja agora mais uma entrevista exclusiva aqui no "Opinião do Carvalho".
Dessa vez com o craque Gilberto, do Cruzeiro, da seleção e quem sabe um dia, do... 




 


 

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Resumo da Década - Vasco da Gama

Um fez apenas 20 gols; o outro mais de 50. Mas você tem dúvidas de quem é o posto de ídolo do Vascão na década?
 
 VASCO DA GAMA


O time da virada, precisa dar a mais importante de sua história


Escassez de títulos, de craques, rebaixamento e disputa política.
Essas características que tão bem sintetizam as décadas de Palmeiras e Atlético Mineiro(com excessão da última), também resumem o que foi este período para o Vasco da Gama.
Clube grande que há mais tempo não vence um título de dar orgulho na torcida, o vascaíno hoje quer esquecer os últimos anos mas ainda não sabe quem deve comandá-lo para mudar os rumos da vitoriosa caravela.

Um Eurico desgastado, em grande parte da década e um Roberto enrolado nos últimos anos: são essas as duas razões básicas que justificam tantos insucessos.
O clube que fechou o século e o milênio passado tendo a melhor equipe do Brasil(com direito ao título brasileiro de 2000), não chegou nem perto de repetir o feito no período de 2001 à 2010.
Para se ter uma idéia da dimensão do fracasso, o clube terminou entre os dez primeiros colocados a competição mais difícil e importante do país, apenas uma vez em dez anos.

Pela Copa do Brasil, eliminações em casa para 15 de Novembro, Baraúnas, Gama e Sport; e ainda um vice campeonato para o rival Flamengo em 2006 na única final disputada pelo clube em 22 anos de torneio.

Nos torneios sul americanos, quatro eliminações na primeira fase, uma na falecida Mercosul e três na sul americana. Uma participação na Libertadores em 2001 com eliminação para o forte Boca nas quartas de final, e ainda uma eliminação também nas quartas de final da sul americana em 2007 para o América do México.

No campeonato carioca, o último grande título em 2003. De lá pra cá, apenas um vice e um terceiro lugar. 

As tradicionalíssimas divisões de base em declínio, o fim de carreira do ídolo Edmundo, a saída sem volta do outro grande ídolo Juninho Pernambucano, e o rebaixamento em 2008 são algumas das grandes tristezas do torcedor cruzmaltino na última década.
Década aliás, em que talvez o gol mais marcante que o clube tenha feito, tenha sido o milésimo de Romário em São Januário.
Pouco, muito pouco mesmo para quem tem, interesses financeiros e escusos à parte, a segunda maior torcida do Brasil.

Time da década: Fábio; Wagner Diniz, Dedé, Géder e Gilberto; Andrade, Rodrigo Souto, Morais e Juninho Paulista; Leandro Amaral e Romário.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Resumo da Década - Atlético Mineiro


Uma loucura chamada torcida do Galo: é ela de longe, o grande craque do clube nesta década


ATLÉTICO MINEIRO

O Galo quer se vingar!

Se o palmeirense hoje não tem muita noção do que vem pela frente como vimos ontem, o atleticano por sua vez, que sofreu muito nesta década, parece ter dias melhores à sua espera, com Dorival Júnior no comando.
A década primeira deste século foi de raros títulos para o Galo, apenas dois mineiros em dez anos, o que num estado polarizado em dois clubes, é pouquíssimo.

As semelhanças com o Palmeiras, clube retratado ontem, são muitas.
Ambos foram rebaixados, e voltaram no ano seguinte com a obrigação realizada(alguns também chamam de título de campeão da série B). Assim como o colega paulista, o Atlético também colecionou eliminações vexatórias na Copa do Brasil, nestes últimos dez anos. Goiás, Brasiliense(este numa semi-final, o que não sei se agrava ou atenua a vergonha), Sport, Santo André e Ceará. De 2001 à 2005, o Galo assistiu adversários modestos crescerem para cima dele na competição nacional de mata-mata.

E se na Copa do Brasil, competição onde clubes grandes em declínio tem sua oportunidade de voltar a respirar, o Galo Forte não foi bem, pior ainda no sempre difícil campeonato brasileiro.
Além do rebaixamento de 2005, nas outras oito campanhas, apenas um quarto lugar em 2001, quando o campeonato ainda não era por pontos corridos e duas sétimas colocações em 2003 e 2009.

A mediana sul americana, que neste ano virou o objeto de desejo do limitado Palmeiras que claramente não tinha condições de disputar o título nacional, também foi mais uma competição onde o Galo, mesmo com adversários mais fracos, não teve sucesso.
Cinco participações em 2003, 2004, 2008, 2009 e neste ano, e em apenas uma delas alcançou algo mais que a primeira fase, justamente neste ano quando chegou às quartas de final.

De bom mesmo na década, a transformação de seu C.T. na bem sucedida Cidade do Galo, eleito o melhor centro de treinamentos do Brasil em 2010 e as comemorações, mesmo que sem título, do centenário do clube em 2008.
Time da década: Velloso; Mancini, Leandro Almeida, Marcos e Rubens Cardoso; Gilberto Silva, Márcio Araújo e Danilinho; Marques, Guilherme e Diego Tardelli.

domingo, 19 de dezembro de 2010

Resumo da Década - Palmeiras

Pois bem, conforme adiantei há dias, iniciamos hoje aqui no "Opinião" o resumo da década dos doze maiores clubes do Brasil.
Títulos, ídolos, jogos memoráveis, jogos pra esquecer, perspectiva para a próxima década, enfim, como seu clube se saiu nos dez primeiros anos do vigésimo primeiro século de nossa história.

PALMEIRAS

O grande ídolo da década, e quem sabe da história: Marcos é a alma palmeirense

Sabe bem o que vem pela frente?

Se há um clube brasileiro que gostaria de saber minimamente o que irá lhe acontecer nos próximos anos, este clube é o Palmeiras. 
Porém, após uma de suas piores décadas em toda sua história de 96 anos, ao contrário do que diz o hino, o torcedor alviverde hoje ainda não tem indicações claras se o sucesso enfim voltará, ou se as vacas permanecerão no doloroso processo de emagrecimento que estão há tempos.
Um único título nos últimos dez anos, o paulista de 2008. É realmente incrível, mas o clube que teve as equipes mais recheadas de craques da última década, conseguindo inclusive um bi-campeonato nacional, não consegue se encontrar desde o fim da vitoriosa parceria com a Parmalat.

A década começou com uma boa campanha na Libertadores de 2001, em que o clube parou na semi-final.
Já no decorrer dela, particularmente na Copa do Brasil, colecionou eliminações vexatórias para times de segundo e terceiro escalões nacionais.
ASA em 2002; Vitória em 2003 com direito à uma goleada de 7 dentro do Parque Antartica; em 2004 quem fez a festa foi o Santo André; o Ipatinga o eliminou em 2007, o Sport em 2008 e esse ano foi a vez do Atlético Goianiense. Histórico assustador que mostra que algo maior fora de campo, não anda bem há tempos para o Tetra-campeão brasileiro.

Nos brasileiros de 2004, 2005 e 2008, três quartas colocações honrosas, mas todos sabem: é muito pouco.
E fica evidenciado o pouco valor dessas campanhas, principalmente quando analisadas como um possível exemplo de mudança de prumo, quando nos lembramos que após as mesmas, nada mudou, e que neste mesmo campeonato, o clube entregou um título que todos já julgavam ser dele, em 2009.

Se o futebol profissional indica que algo não anda bem em seu comando, as divisões de base do clube seguem na mesma toada.
Ilsinho, Zé Eduardo, Bruno César e Elias. E aí, gostaria de ter esses jogadores no seu time?
O Palmeiras não quis.
Todos passaram pelas equipes de base do Palmeiras. 
Elias por exemplo passou onze anos lá dentro.

Mas quando se olha para o elenco do Verdão nos últimos anos, o que se vê em sua grande maioria são jogadores de nível duvidoso em quase todas as posições.
Mesmo assim, veja se não gostaria de ter esse time ao seu dispor:
Marcos; Arce, Danilo, Gamarra e Lúcio; Marcinho Guerreiro, Magrão, Alex e Valdívia; Kléber e Vágner Love.
Treinador?
Veja se um desses nomes te satisfaz: Felipão, Muricy e Vanderlei Luxemburgo.

Realmente não é naquele pequeno retângulo delimitado por linhas brancas entre o banco de reservas e o campo de jogo que reside o problemas do Palmeiras.
Disputas políticas acirradas e indicações equivocadas para gerenciar o futebol do clube, provam que o problema mesmo desta vitoriosa marca que daqui a quatro anos comemora seu centenário, está muito mais em cima.  

sábado, 18 de dezembro de 2010

Como é fácil ser jornalista esportivo...

Mortalmente cansados após um jogo dificílimo, jogadores da Inter comemoram o título mundial

Cumprindo tabela agora há pouco, a Inter de Milão venceu o Mazembe por três a zero e foi campeã mundial de clubes.
Gostaria de mandar um abraço forte a André Rizek, o humilde, e Rica Perrone, um blogueiro anônimo como nós, que deu certo. 
Ambos disseram que a derrota do Internacional na última terça-feira não havia sido vergonhosa, nem vexaminosa.
Espero sinceramente que os seus respectivos aparelhos televisores tenham funcionado melhor hoje e eles tenham podido enxergar a extrema ruindade do time do Congo.
Fraquíssimo e violento como a maioria dos times africanos, o possante Mazembe já perdia por dois a zero aos dezoito minutos do primeiro tempo e só não levou uma goleada maior, por Diego Milito não estar em suas melhores noites.
Fico imaginando a torcida colorada neste momento, absolutamente tranquila com o resultado do Mundial, já que segundo os dois jornalistas aí de cima, não foi vergonha nenhuma perder para um time que ninguém nunca ouviu falar, que é de um país que nem se sabia se jogavam futebol nele.
Como é fácil ser jornalista esportivo...


Haja paciêiiiiiicia
* A transmissão no Sportv foi de Mílton Leite, uma espécie de José Simão dos narradores, pois teima em fazer graça mas a única pessoa que parece conseguir rir é ele mesmo.
Mílton, está passando por um processo de "Silvioluização". 
Faz comentários sem graça, ou engraçados apenas para parte de seus telespectadores.
Hoje por exemplo, ao ver uma bola ser bicada para o alto, disse que numa determinada cidade de seu estado, quem chutava mais alto ganhava um leitão.
Cada vez mais telespectadores que assistem transmissões esportivas comandadas por paulistas, se sentem como assistindo o Saturday Night Live. Um show de piadas que você não entende e não se identifica por uma simples razão: aquela cultura não é a sua.
Mas até parece que algum comandante do SPortv ou da eSPn Brasil está preocupado com o processo de "caipirização" das transmissões.
É relaxar, rir, e gozar.


Jumentarista
* Por falar neste assunto, impossível não citar o comentarista psicopata Maurício Noriega, a pessoa que mais fala a palavra futÊbol em todo planeta.
Dos 28 aos 33 do primeiro tempo foram três vezes.
Mas ele hoje estava inspirado.
Absolutamente surpreso com o fato da Inter não ter um italiano em seu time titular e poucos em seu elenco(fato que já acontece há vários anos), saiu-se com esta: "Em que língua Júlio César e Lúcio devem se comunicar?"
A idéia de ligar para o Sportv informando que os dois atletas brasileiros alternam o Esperanto com o Tupi-guarani passou pela minha cabeça como um flash, mas resolvi não me dar ao trabalho.
Mas como é fácil ser jornalista esportivo...

"Ronaldinho é nosso!" "Quer dizer, do Palmeiras." "Ih não é?"
* Durante o primeiro tempo, o narrador pede desculpas pela informação errada que a emissora havia dado antes da partida.
Uma informaçãozinha assim sem importância, apenas que Ronaldinho Gaúcho já seria do Palmeiras.
Como é bom assistir uma emissora que não é bairrista.


Joga dez! Dez por cento...
* Voltando um pouco ao gramado e deixando os "craques da palavra" de lado, só uma pergunta: quem é o empresário de Thiago Motta?
De qualquer maneira, parabéns.


Só pode ser brincadeira
* Ah, para terminar, só mais um comentário sobre a nova contratação do Flamengo, o tecnicamente bom goleiro Felipe.
Vejam notícia de meses atrás sobre o atleta, já em Portugal.
Das duas uma, ou Patrícia Amorim é mulher de malandro, ou é uma imbecil.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Ho Ho Ho, olha quem chegou!

É como eu digo: a vida real não tem poesia


Sexta-feira positiva para Galo
* O Papai Kalil confirmou as contratações de Magno Alves e Richarlyson.

Sexta-feira extremamente positiva para o Flamengo
* Clube confirmou há pouco contratação de Felipe, goleiro bom e maluco que tava no Braga.
E o mais importante, Zico deu seu presente de Natal para a Nação rubro-negra: afirmou que não volta ao clube nunca mais.
Ah, e em mais uma crise de esclerose - vem se tornando cada vez mais frequentes - disse que o ano do clube foi uma merda.
É verdade, especialmente entre 1º de Junho e 1º de Outubro.
Infeliz da torcida que tem um débil mental desse como ídolo.

Ah tá, agora entendi...

Acabou o "Casseta"? Mas tem Rubinho...
* Tentando compensar todos os atrasos como piloto, o hilário Rubinho Barrichello deu uma de Papai Noel e entregou presentes para crianças carentes de São Paulo.
- Eu quero paz. Quero paz para poder ser (...) um piloto melhor. - Disse o piloto.
Mas nem que se instalem UPPs por toda Faixa de Gaza, meu caro Rubinho...

"Ih, que legal! Porra, que merda!"
* Borges e Pierre podem aportar em São Januário. O primeiro é bom centroavante, já o segundo é uma daquelas invenções estapafúrdias da mídia provinciana paulista, perdão pelo pleonasmo, que já o pediu até na seleção.

Por acaso, nasceu aqui...
* Cielo é ouro nos 50m livre no mundial de piscina curta.
Pena que é muito mais um "Guga" num oceano de Meligenis, do que um caso comum na nossa natação.

Tsc, tsc... E todo mundo cai que nem um patinho!
* E a discussão da unificação, hein?
Conforme lembrou Juca Kfouri, criada pelo mafioso mor do nosso pobre futebol apenas e tão somente com o objetivo único de abafar a denúncia da BBC sobre sua empresa num paraíso fiscal.
No início cheguei até cogitar fazer um texto pra cá, mas é algo tão estupidamente cretino, que desisti.
Uma discussão que se vence com uma única informação - o Santos para vencer cinco, eu disse 5 taças Brasil jogou 24 jogos -  não é uma discussão.
É uma questão de desenvolvimento mental.
Uns entendem com uma frase, e os outros nem com uma vida.
Simples assim.

OFFutebol - Festa Norótica!
Coé mané, se liga no bagulho que deu na Grobo.com, irmão! Cof cof cof
Ou seja, vai rolar "branco", vai rolar "preto" e nem se preocupe com a entrega que neguinho vai tá voando direto... 

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Mais INTER e menos nacional, por favor!

Superação: mesmo sendo doente terminal de sarna anal, Kidiaba salvou o Mazembe

Embora movimente milhões de dólares por todo o mundo, o futebol talvez seja o único meio que permite que pessoas comprovadamente incompetentes, apadrinhados e amadores tenham posições de comando.
A tragédia colorada ontem, que o "sempre diferentezinho" André Rizek se recusa a chamar de vexame, poderia servir de lição para diretores de futebol pelo Brasil afora.
Mas não servirá.
E não servirá porque a incompetência é tão grande, a falta de uma visão mais ampla é tão absurda, que sequer se enxerga o erro.
Ou você desde ontem à tarde já ouviu alguém dizer que o principal culpado pela vergonhosa eliminação do Inter ontem é ninguém menos que o próprio Internacional?

Num post há alguns meses, critiquei a persistência no erro por parte do clube gaúcho que era mais um a abandonar o campeonato mais importante de seu país após conquistar a Libertadores.
Disse também que essa atitude era claramente típica de um país subdesenvolvido como o Brasil, cujos dirigentes conceituam o título mundial como algo tão fora de sua realidade que talvez pensem internamente que nem merecedores dele sejam.

Mas se é absolutamente fora de propósito abdicar de um campeonato como o brasileiro, é mais assustador ainda que nenhuma mente brilhante tenha se dado conta de que ficar quatro, cinco meses sem disputar jogos de forma séria, é a pior maneira de se preparar para o tal mundial!
O que se viu ontem, foram jogadores sem ritmo de competição, sem a garra naturalmente contínua de quem poderia ter estado até dez dias atrás na disputa - com ótimas chances de ganhar - de um campeonato nacional.

Será que ninguém, nenhum diretor colorado, nenhum cérebro vermelho pródigo em raciocínios surpreendentes como o Veríssimo, atentou até este momento que nada pode ser pior para a disputa de um ou dois jogos importantes no fim de uma temporada que a falta de ritmo, de tesão, da gana de vencer à todo custo, natural de quem disputa um campeonato para ganhar, e não de quem passa mais de vinte rodadas pisando em ovos, com medo até da sombra?

Será que ninguém refletiu que se fosse a esta altura campeão brasileiro, ou vice quem sabe, a dor pelo horror de ontem seria evidentemente menor? 

"Coincidentemente" em 2006, quando disputou o mesmo brasileiro com um pouquinho mais de seriedade e ficou num honroso segundo lugar, o Inter foi campeão mundial.

Ps: Acabo de assistir um vídeo de um programa esportivo da TV Bandeirantes, no qual a apresentadora Renata Fan(que o que tem de linda tem de..., deixa pra lá), lamenta que o Inter tenha abandonado o brasileiro.
Seja quem for que tenha escrito o texto pra ela, já não estou sozinho.
Ah, só uma pergunta: em que língua fala o Neto? 

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Entrevista do Carvalho - Edição de 13 de Dezembro de 2010 - FLÁVIO DIAS

A saga que objetiva mostrar todos os pontos de vista existentes no mundo do futebol continua.
E hoje o convidado da "Entrevista do Carvalho" é o assessor de imprensa Flávio Dias.
Flávio começou como radialista e se tornou assessor de imprensa há doze anos.
Edmundo, Loco Abreu, Juninho Pernambucano, Gilberto Silva são alguns dos jogadores de sucesso que ele tem ou já teve como clientes.
A definição da profissão, a relação com a imprensa, com os clientes, e a tentativa de melhorar a imagem desta relativamente nova função no meio do futebol, são alguns dos temas abordados por ele. 



 

 

sábado, 11 de dezembro de 2010

Doido pra segurar um ferro!


"Novo cabo "assume" na Praça do Ó"
* Depois das extraordinárias notícias "Ronaldo peidou" e "Ronaldo não quis sobremesa", mais uma que faz o país parar: "No Bope, Ronaldo se entusiasma"
Não sei, mas algo me diz que o Fenômeno tem algum inimigo na Globo.com...

 Que Barcelona que nada...
* É ou não é uma maravilha esse Mundial de clubes da FIFA?
Pois segundo ele, o Seongname Ilhwa e o Mazembe da República Democrática do Congo estão entre os quatro melhores times do planeta.
E tem gente que critica o antigo Mundial de Tóquio.

Globo.com Corínthians
* Da série " Eu nunca vou te abandonar", Corínthians, terceiro lugar no brasileiro e sem vaga garantida na Libertadores, aparece na principal manchete e é só alegria.
Já o pobre Fluminense, numa fase terrível coitado, é obrigado a lembrar de seus piores momentos há mais de um ano com direito à críticas aos jogadores do clube.


"Glória do desporto nacional"
* Com relação ainda ao artigo de ontem, "O clube da década", é evidente que o Atlético Paranaense estaria bem colocado devido aos seus bons resultados em Brasileiros(campeão) e na Libertadores(vice).
Apenas ressalto que o ranking foi feito para vermos como andaram nos primeiros dez anos do século, os doze principais clubes do Brasil.

Entrevista do Carvalho - 11ª edição
* Excepcionalmente a "Entrevista do Carvalho" desta semana será publicada na próxima segunda-feira.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

O clube da década

Calma amigos gremistas, é apenas um ranking!
 

Quando disse aqui há uma semana que durante este parado mês de Dezembro iria fazer algumas listas, já tinha na cabeça fazer um ranking da década entre os times brasileiros.
Depois daquele gremlin que a CBF divulgou, a vontade explodiu.
Considerei todos os títulos ganhos pelos clubes e todos os vices, com exceção dos vices estaduais.
As pontuações:

Campeonatos Estaduais: 10 pontos para Carioca e Paulista; 5 para Gaúcho e Mineiro;
Copa do Brasil: 30 pontos para o Campeão e 10 para o vice;
Campeonato Brasileiro: 50 pontos para o Campeão e 20 para o vice;
Recopa Sul-americana: 20 pontos para o Campeão e 10 para o vice;
Copa Sul-americana e Mercosul: 30 pontos para o Campeão e 10 para o vice;
Copa Libertadores da América: 75 pontos para o campeão e 30 para o vice;
Mundial de Clubes: 100 pontos para o campeão e 50 para o vice.

Já imagino que alguns vão reclamar das pontuações justamente e coincidentemente dos títulos de seus clubes, mas levei em consideração alguns critérios como valor do título e dificuldade, o que por exemplo equipara os torneios continentais de segunda linha - Mercosul e Sul-americana - com a Copa do Brasil. Ambos neste momento tem o mesmo valor, classificar para a Libertadores.

Acho legal principalmente para ver se seu clube vem sendo mais regional ou ganha cada vez mais espaço além de suas divisas e fronteiras.

Aí está:(É só uma curiosidade, acalmem os nervos!)



12º Palmeiras - 10 pontos; 1 Campeonato Paulista

11º Atlético Mineiro - 10 pontos - 2 Campeonatos Mineiros

10º Vasco da Gama - 20 pontos - 1 Campeonato Carioca; 1 vice da Copa do Brasil

Botafogo - 20 pontos - 2 Campeonatos Cariocas

Grêmio - 100 pontos - 4 campeonatos Gaúchos; 1 Copa do Brasil; 1 vice do brasileiro; 1 vice da Libertadores

Fluminense - 150 pontos - 2 Campeonatos Cariocas - 1 campeonato Brasileiro; 1 Copa do Brasil; 1 vice da Copa Sul-americana; 1 vice da Copa do Brasil; 1 vice da Libertadores;

Cruzeiro - 155 pontos - 5 Campeonatos Mineiros; 1 Copa do Brasil; 1 vice da Libertadores; 1 vice do campeonato brasileiro; 1 Campeonato Brasileiro

Flamengo - 160 pontos - 5 Campeonatos Cariocas; 1 campeonato Brasileiro; 1 Copa do Brasil; 1 vice da Copa Mercosul; 2 vices da Copa do Brasil


Corínthians - 180 pontos - 3 Campeonatos Paulistas; 1 Campeonato Brasileiro; 2 Copas do Brasil; 1 vice Brasileiro; 2 vices da Copa do Brasil

Santos - 180 pontos - 3 Campeonatos Paulistas; 2 Campeonatos Brasileiros; 1 Copa do Brasil; 1 vice da Libertadores; 2 vices Brasileiros

São Paulo - 375 pontos - 1 Campeonato Paulista; 3 Campeonatos Brasileiros; 1 vice da Recopa Sul-americana; 1 Libertadores; 1 Mundial Interclubes; 1 vice da Libertadores

Internacional - 410 pontos - 6 Campeonatos Gaúchos; 1 Recopa Sul-americana; 1 vice da Recopa Sul-americana; 1 Copa Sul-americana; 2 Libertadores; 1 Mundial Interclubes; 3 vices Brasileiros; 1 vice da Copa do Brasil

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Ranking da CBF: santa idiotice Batman!

Dá pra imaginar algo de ruím vindo de um rostinho tão angelical?


Há muitos anos que não tinha o desprazer de ver o bizarro ranking da CBF.
Ranking segundo o qual, a diferença de importância de ser campeão brasileiro para ser vice, é igual a do 19º para o vigésimo. De apenas 1 ponto!
Já a extraordinária Copa do Brasil, dá 30 pontos ao campeão e 20 ao vice.
Ou seja, o Cruzeiro de 2003 que fez 100 pontos no campeonato brasileiro, teve apenas 1 ponto a mais que o vice, a léguas de distância.
Já o campeão de uma edição qualquer deste atalho chamado Copa do Brasil que empate os dois jogos e vença nos pênaltis, terá 10 a mais que o 2º lugar, 30 a 20.
E tão absurdo quanto o ranking, é a falta total de repúdio dos que tomam conhecimento dela, especialmente a imprensa.
Mas a gente entende né...

Da série "Meu caro babaca"...
É impressionante como ninguém consegue mais tirar da cabeça dos dirigentes esportivos que torcedor é sinônimo de idiota.
E o pior é que eles tem razão.

Sai seis, entra meia dúzia
* Se há uma torcida que ultimamente parece ter acordado e cobra muito de seus dirigentes um novo panorama, é a vascaína.
Pois bem, para o lugar de Nunes e Rafael Coelho que devem sair, como presente de Natal o Vasco contrata Marcel, aquele que não deu certo em Portugal, não rendeu no São Paulo, foi reserva no Grêmio, e mal jogava no Santos.
Pobre bacalhau...

Agora é Leandro e Leonardo no rádio, e lenço nos olhos
* E o Goiás ontem hein? Nadou, nadou e morreu na cachoeira, já que lá não tem praia.
Destaques para o muito criticado Rafael Moura, que reviveu seus melhores momentos no Paysandu e para o técnico Artur Neto, quer parece ser uma pessoa séria e competente.
Em relação à arbitragem do bom Oscar Ruiz, nenhuma novidade: bom, médio, ou péssimo, qualquer juiz num jogo de equipe brasileira contra equipes argentinas ou uruguaias, vai deixar correr frouxo o aspecto disciplinar. Evidentemente, no que diz respeito às faltas cometidas pelo adversário.
Pra expulsar amigo, só com amputação.

"Uma esmola pelo amor de Deus"
* Ainda sobre a final de ontem, só rubro-negro muito fanático, daqueles que compram tijolinho pra bancar a ceia da Patrícia Amorim no Natal, torceu contra o time brasileiro.
Revivendo frase antiga de Eurico Miranda numa entrevista quando lhe perguntaram sobre a hipótese de um filho torcer pelo Flamengo, torcer a favor de argentino, também é desvio de conduta.

Lá vem o Bahia...
* Rogério Lourenço é o novo treinador do Bahia. 
Duas coisas: primeiro, como é bom ver o tricolor baiano de volta à primeira divisão. Pena somente, a ausência da Fonte Nova.
E outra, Rogério parece ter potencial para ser um bom treinador. Dos três treinadores que dirigiram o Fla no brasileirão, foi o único que acertou a defesa, que logo seria transformada numa peneira por Silas.
Ah, só um detalhe a mais: Marcelo Lomba fez intensos elogios à ele durante a entrevista da última sexta. Segundo ele, no que diz respeito à parte tática, Rogério é fera.
Também aposto nele.

Bom reforço
* Elias, que fez bom campeonato pelo Atlético Goianiense, seria cogitado por Botafogo, Vasco e São Paulo.
Vejamos se o futebol do Rio que frequentemente perde bons valores para o futebol paulista, muitas das vezes por falta de competência e não de dinheiro, se dá bem nessa.

Bom reforço II
* Já o maluquinho Caio ex-Flamengo, que também fez bom campeonato só que pelo Avaí pode ir para o Cruzeiro. O "maluquinho" da frase anterior, é porque quando jogava no Fla, teria explicado que não poderia jogar pois achava que estava com o vírus da AIDS.
Que fim levou a história, não sei.

Ai que loucura!
* "Zé Roberto prefere carregar o piano para Ganso tocar"
O que não faria o Richarlyson, meu Deus...

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Fiscais de C@#$ú - estão por toda parte!

O que ele gostaria de ser mas não tem coragem de dizer: vice ou...  

Estamos em 2010, e empresas que movimentam milhões de dólares ainda são comandadas por débeis mentais.
Depois um homossexual reprimido, sem a coragem necessária de se assumir, dá uma paulada na cabeça de um garoto na Avenida Paulista, e a mídia diz que não sabe o porquê disso acontecer.
Esse jornalismo medíocre, covarde, vendido e submisso que assola principalmente São Paulo, é responsável por cada ponto que aquele rapaz levou na cabeça.


Olha o Papai do Céu agindo aí gente!!!
* E a falha do Júlio César genérico em Goiás hein?
Se fosse o Lomba, os milhares de especialistas em futebol (também conhecidos como desocupados) que foram até o Ninho do Urubu semana passada, estariam em polvorosa...


 "Mas o alvo, na certa, não te espera"
* Twittada de Neymar, o craque que tem o cérebro no pé, no último dia 17:
"@Njr92  Valeu pelo insetivo galera"
Dá vontade de ser uma "mosca" para poder ver a cor do vácuo no cérebro do garoto...


Tricolores baianos em estado de graça
* Muito ruím o Vitória ter sido rebaixado. Clubes nordestinos são certeza de alegria e estádios cheios no campeonato brasileiro.
Além é claro, de perdermos um belo clássico, com a volta do Bahia à primeira divisão.
Mas é ou não é curioso o Vitória ser rebaixado porque empatou com outra equipe em pontos e perdeu em Vitórias!?


Sem torcida, sem time, sem graça
* Ao menos aquele Alien esportivo do nômade caipira também caiu. Que siga nessa toada até o ostracismo, é o que eu desejo do fundo d´alma...


Previously on Lost
* E o Flamengo hein?
Começa sua reformulação com a renovação de um dos mais medíocres jogadores de seu elenco, o volante Fernando, que a maioria dos rubro-negros nem lembrava mais que estava por lá, até Vanderlei "ressucitá-lo" para o jogo contra o Santos.
O rubro-negro que viu Patrícia Amorim pela enésima vez com cara de vítima, hoje no Arena, não sabe se dela sente pena ou raiva.
É assustadora a incompetência da presidenta no primeiro ano de mandato. E a julgar pela tal "carta branca" que deu ao treinador para a próxima temporada, vem "mais do mesmo" por aí...


Foste herói em cada jogo
* O Botafogo, sejamos francos, foi longe demais.
Com uma pergunta simples, se comprova isso: qual jogador titular do Botafogo, além do ótimo goleiro Jefferson, jogaria nos quatro primeiros colocados?
No fim das contas, com erros e acertos, vê-se que Papai Joel tirou leite de pedra...


 Criatividade bestial ou de uma besta?
 
* Manchete carioca do Lance de hoje, à direita
 

Post do Blogueiro que vos tecla no Domingo, após o título tricolor



Quer que desenhe?
* "Ronaldinho e Adriano indicados ao "prêmio" de pior ano da Itália"
Alguém que ainda não tenha entendido os motivo$$$ pelos quais Mano Menezes o convocou para o jogo contra a Argentina?
Alguém?
Alguém?

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Babacas não sabem perder

O "Brasil" no campeonato brasileiro, preparou a festa. Mas...

Faltou combinar com a Argentina...
Se o Flamengo sempre foi o clube mais odiado do Brasil, por ter a maior torcida, o Corínthians vem nos últimos anos chegando perto dos níveis de rejeição do clube carioca, porém por outras razões.
Desde que a mídia em geral resolveu adotar - por razões absolutamente econômicas, já que possui a maior torcida no estado mais populoso - o clube paulista como queridinho, uma megalomania ensandecida tomou conta das pessoas ligadas ao "Timão".
Torcedores, diretoria, jornalistas oportunistas e outros passaram por exemplo não só a repetir que o clube tem a segunda maior torcida do país, como a dizer que tem a maior, como no patético e constrangedor depoimento de Ronaldo ao Bem Amigos há cerca de um ano.
Torcedor pode quase tudo. Diretoria, jogadores profissionais não.

Há poucas horas, na entrega do prêmio da Globo e da CBF, o mafioso e alcoólatra presidente do Corínthians ajudou a onda de antipatia que seu clube atrai, a crescer cada vez mais.
A história é mais ou menos assim: convidou-se Lula para entregar uma placa em homenagem ao centenário do Corínthians, numa clara tentativa de entregar alguma coisa ao time paulista.
A entrega seria feita ao presidente do clube evidentemente.
Eis que ao sair do palco, logo após receber a placa num momento que contou também logicamente com a participação de Ricardo Teixeira, o desesperado mandatário toma o microfone de Marcos Palmeira, um dos apresentadores, e diz que seu time entrou pela porta da frente à primeira divisão do campeonato brasileiro, numa clara alusão provocativa ao Fluminense, campeão nacional e grande homenageado da noite.
Resultado: tomou uma das maiores vaias da história do teatro municipal do Rio de Janeiro, e saiu com cara de bunda aos gritos de "Center-nada".
Culpa dele? Claro que não.
Culpa de quem resolver inserir à forceps a ridícula cena acima relatada na festa dos melhores do campeonato e fundamentalmente, do Fluminense.
Culpa de quem arrisca o sucesso de uma bonita festa, com a participação de alguém que pensa que pode tudo, pelo simples fato de ser amigo do "Hômi".
Se na sua província o presidente do Corínthians faz o que quer, e quase sempre tem como resposta da imprensa puxação de saco humilhante, fora dela ele mostrou que é apenas um babaca que não sabe perder.
Grande abraço à linda e empolgante terceira maior torcida do país, por seu centenário.

Ps: Por falar em babaca e em quem pensa estar acima do bem e do mal, Ronaldo também deu sua demonstração de "educação, humildade" e outros adjetivos que os puxa-sacos de plantão teimam em fazer você acreditar que são verdadeiros.
Ao receber o prêmio de... (qual era o prêmio mesmo que ele recebeu?), Ronaldo, que simulava lágrimas e emoção, deu esporro na torcida do Fluminense que comemorava o título com musiquinhas bem humoradas, depois de tanta sacanagem que aconteceu neste campeonato.
Ou seja, Ronaldo foi mais um "Corinthiano" a se enrolar com a bola hoje.
Mas esse babaca, os cariocas sabem: se enrolar com as bolas, é com ele mesmo...
BlogBlogs.Com.Br