quarta-feira, 6 de abril de 2011

Uma (sub?) raça chamada árbitro de futebol

Prazer em punir homens, ser rotineiramente peitado pelos mesmos, fugir sempre que é cercado por eles... Afinal, o que leva um sujeito a querer ser árbitro de futebol?

* Santos e Colo Colo na Vila, pela Libertadores.
O "humilde" Neymar faz (mais) um golaço, e ao comemorar, coloca uma máscara que tem ele mesmo como modelo.
Resultado: levou cartão amarelo e foi expulso, pois já havia levado outro anteriormente.
Jogo do São Paulo contra o Santa Cruz, pela Copa do Brasil.
O habilidoso Marcelucas tenta sair da marcação de três adversários, e cai ao ser atingido por trás.
Dagoberto, vem em sua defesa e empurra o adversário que cometeu a falta e daí em diante uma série de empurrões são dados.
Resultado: o jogador que fez a falta e também Marcelucas, o que levou a falta, são expulsos.
Os dois casos tem histórias diferentes, mas possuem algo em comum: o prejuízo ao bom jogador.
No caso de Neymar, um absurdo cartão amarelo que resulta na expulsão de um jogador que cometeu o grande crime de colocar uma máscara na comemoração de um gol!
É fundamental neste caso ressaltar que se trata de um jogo de Libertadores, e sempre, eu repito, SEMPRE que uma equipe brasileira, seja time ou seleção, enfrenta outra sul americana é prejudicada quando há dúvida.
E pior, em muitos casos em que não há questão duvidosa, também o é, como foi o caso.
Ou você imagina que se Martin Palermo fizer um gol na Bombonera e colocar uma máscara na comemoração, um árbitro terá a coragem de colocá-lo para fora?  

Na situação envolvendo Marcelucas, a prova da mediocridade da arbitragem brasileira, e de sua usual opção pela solução simples e distante da realidade.
É a enésima vez em que o árbitro, após uma confusão originada em uma falta violenta, opta por expulsar o atleta que fez a falta, ok, mas também o que a sofreu!
Ignora-se todos os outros que fizeram coisa muito mais grave que o próprio infrator inicial, como empurrar, dar tapa na cara, e mais uma série de outras agressões, que se fossem punidas de forma correta, acarretariam possivelmente o final da partida por ausência da quantidade mínima de atletas em campo, por uma, ou pelas duas equipes.

Cara de pau ilimitada
* Aliás, por falar em Neymarra, só um comentário sobre a ridícula propaganda da Nextel que ele estrela:
Ele diz: "O que importa não é a fama, não é o DINHEIRO!, não é a carreira, não é o poder. Você sabe quem eu sou."
Olha Neymar, eu posso saber, mas o cara de pau que bolou esse texto com certeza não sabe.

Froid explica
* Ronaldo, Adriano, Seedorf, Juan...
Qualquer dia o Andrés Sanchez lança a camisa rubro-negra do Corínthians.

Leonardo, o treinador Sprite
* Sábado, dois de Abril, Milan 3 x 0 Internazionale.
Terça-feira, cinco de Abril, Internazionale 2 x 5 Schalke.
Eu ainda vou viver para assistir o Giorgio Armani de treinador da Azurra.

Foda-se a Madonnina
* Em tempo.
Que o objetivo de um canal multinacional como a ESPN seja difundir ao máximo, por motivos comerciais, o futebol internacional aqui no Brasil, todos aceitam, e os idiotas, babacas, e péla-sacos de plantão, estão aí para ajudá-los na missão.
Mas tudo tem limite.
Tentar enfiar à fórceps a informação de que o tal jogo na Itália é chamado de "Derby della Madonnina", falando isso mais de 20 vezes durante a transmissão, como se todos os telespectadores estivessem assistindo ao jogo com a "Mama" no Bexiga, é ridículo.
Devem ser as mesmas pessoas que reclamam da subserviência brasileira no plano de segurança para o presidente americano em recente visita ao Brasil.   

E foi pena pra tudo que é lado...
* E o Grêmio Itinerante, ÚLTIMO colocado do "fortíssimo" Paulistinha, eliminou o Atlético Mineiro da Copa do Brasil.
E o pior é que nem um técnico escroto, arrogante e em declínio para mandar embora, o Galo tem.
Devem estar com saudades de VL.

3 comentários:

Cleber Soares disse...

E ai meu caro Carvalho, blz.
Nossa arbitragem enquanto realmente não se profissionalizar vai ser isso que estamos acostumados a ver, na verdade o cara é bancario, professor, militar.... e nas horas vagas tbm é árbitro de futebol... o que se vai se esperar????.

Quanto a Neymar eu até acho que realmente é exagero expulsar um jogador por comemorar um gol, mas o jogador tem que saber da regra, o cara é profissional, vive disso... tem que saber.....
Um abraço meu irmão.

BLOG DO CLEBER SOARES
www.clebersoares.blogspot.com

Giovani Mattiollo disse...

Realmente, ser árbitro não é uma grande vantagem, pelo menos até ser bem reconhecido... Quando entram em campo, árbitros não tem mãe... hehe

Abraço

http://gremista-sangueazul.blogspot.com

ALDO disse...

Não vou discutir o caso Neymar e sua comemoração.
A verdade é que esse oligofrênico, tá tentando a todo custo abortar o don que Deus! lhe deu.
Achei que o árbitro, cumpriu a regra.
O marrento já tinha amarelo, pôrra.

Mas visto de maneira geral......O árbitro, é o CÂNCER do espetáculo de Futebol.
Sem o árbitro, o futebol seria pefeito.
Como não existe perfeição, exeto DEUS!
O Diabo criou o árbitro.

BlogBlogs.Com.Br